Artigo: Estratégias de preços de varejo para melhorar a rentabilidade
05/03/2018
Perfil do consumidor muda e desafia varejo a se reinventar
15/03/2018

Elas estão no comando: mulheres já são Maioria no Varejo

Que o público feminino é maioria no mercado consumidor brasileiro não é nenhuma novidade. O consumo por parte de mulheres às lojas, serviços ou produtos, que antes eram mais comuns nas mãos de homens, já é crescente e vem mudando a forma como o varejo trabalha.

Lojas de Material de Construção são bons exemplos que nas últimas décadas têm transformado seus espaços para incluir itens de decoração e utilidades, a fim de oferecer um uma experiência mais prazerosa para o público feminino, quando não oferecer um profissional de Design de Interiores para ajudar na escolha de pisos, revestimentos, cores da parede entre outros produtos, humanizando ainda mais a compra e gerando valor para o negócio.

O Varejo tem se transformado em vários setores para deixar cada vez mais o público feminino à vontade para fazer suas escolhas de compras.

Mas elas não estão apenas comprando, mas também comandando muitos negócios de Varejo no Brasil. Segundo dados da pesquisa Women in Business Grant Thornton, uma das maiores empresas de auditoria e consultoria do mundo, o índice de mulheres no alto comando de empresas em geral no Brasil cresceu 5% de 2016 a 2017, atingindo 16%, ficando acima da média global que é de 12%. Porém, 66% das empresas têm pelo menos uma mulher em lideranças sênior no país. Globalmente, uma em cada quatro posições de liderança é ocupada por mulheres.

Alguns segmentos de Varejo e a presença feminina no comando é maior, como por exemplo, no segmento de moda que envolve vestuário e acessórios, podendo chegar a 75%, segundo pesquisa do Sebrae.

Nos Supermercados esse comportamento não está muito diferente. Empreendedoras, Sócias e Gerentes de pequenos e médios supermercados têm se destacado em meio ao número de gestores do sexo masculino. E esse número aumenta ainda mais quando a presença feminina é vista nas funções operacionais da loja, como operadores de checkout, supervisoras, fiscais de caixa, repositoras e outras seções.

Assine agora

Um ponto observado é que as mulheres muitas vezes enxergam que podem ter uma ascensão dentro da loja que trabalham, e buscam investir em conhecimento e qualificação. No Brasil, o nível de escolaridade das mulheres já é maior que dos homens. Elas são maioria nas escolas, universidades e cursos de qualificação.

Todo esse conjunto tem destacado mulheres em cargos de maiores posições dentro do Varejo em que elas, além do conhecimento prático do negócio, também se qualificam para terem uma visão mais gerencial e estratégica.

Apesar de todo esse avanço, ainda é observado que existe preconceito em diversos setores do mercado, em que ainda titulam funções para homens e para mulheres e até diferença de salários. Mas esse tipo de comportamento é mais visível nos pequenos e médios varejos em que a cultura e a falta de informação ainda permeiam a rotina dos proprietários.

É importante que esses varejistas busquem se atualizar constantemente e abram oportunidades para que homens e mulheres consigam ocupar posições na loja pela sua competência, e não pelo gênero. Um equilíbrio entre homens e mulheres apresenta alto desempenho e melhores resultados.

As mulheres estão presentes no Varejo por toda parte, seja como cliente ou como colaboradoras; como empresárias ou auxiliares de seus cônjuges na rotina de loja. Seja como for, elas estão fazendo a diferença e deixando suas marcas no Varejo brasileiro.

Confira as atividades de Varejo onde as mulheres atuam em todo o Brasil:

Assine agora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *