Elas estão no comando: mulheres já são Maioria no Varejo
07/03/2018
Série traz dicas para transformar varejo em negócio lucrativo
20/03/2018

Perfil do consumidor muda e desafia varejo a se reinventar

Podem existir diversas fórmulas para o sucesso dos negócios, mas, todas elas, começam e terminam no ponto principal: o consumidor. Compreender o público-alvo e os hábitos de consumo é o básico em qualquer segmento do varejo que queira se sobressair sobre a concorrência. Acontece que diante à era tecnológica, o acesso rápido às informações vem tornando os consumidores cada vez mais exigentes e agradá-lo passou a ser ainda mais desafiador.

A recessão na economia também vem resultando em impactos visíveis no perfil do consumidor. Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), divulgada na última semana, mostrou que sete em cada dez brasileiros mudaram a rotina financeira em virtude da crise econômica.

De acordo com o levantamento, 55% dos consumidores estão evitando comprar itens considerados supérfluos e reduziram gastos com lazer. Já 54% dos entrevistados passaram a pesquisar mais os preços antes de efetuar a compra do produto, bem como se atentaram mais às campanhas promocionais para buscar pelos produtos mais em conta.

A pesquisa também leva em consideração que o consumidor vem substituindo os produtos por marcas similares e muitos passaram a evitar parcelas longas.

Mas, ao que parece, a mudança de comportamento não é um ato isolado e de curto prazo. A maioria dos consumidores entrevistados pela pesquisa afirmou que pretende continuar com os mesmos hábitos ainda que, hipoteticamente, a situação do Brasil melhore até o fim de 2018.

Assine agora
Como atrair o consumidor?

O varejista precisa se adaptar a essas alterações no perfil dos consumidores para conseguir desenvolver ações que atraiam o cliente e, consequentemente, tragam retorno maior ao estabelecimento. Seja no ponto de venda ou no comércio online, os comerciantes têm que se beneficiar dessas exigências de consumo e mudar a postura diante às novas demandas, que se renovam a todo momento.

Ainda há certa resistência em investir nos meios digitais por pensar que isso remete a altos custos. Se a tecnologia está a favor do consumidor, tenha ela como fiel aliada também.

Um bom exemplo é aproveitar as redes sociais para interagir com o cliente que está sempre pesquisando preços e produtos na internet antes de comprar. O mesmo vale para o envio de “e-mail marketing” que se torna uma opção eficiente e barata para informar os clientes sobre promoções e novidades na loja.

Ele quer economizar? Use isso a favor do negócio!

O consumidor sempre se viu bastante atraído pelas pontas de estoque e as pesquisas mostram que essa reação está ainda mais frequente. Então, investir em promoções e o famoso “pague menos e leve mais” para aqueles itens menores também são pontos fortes na hora de despertar a atenção do cliente.

Ele não está tão disposto a pagar por marcas. Apostar na segunda linha e rótulos similares de determinados itens podem ser diferenciais para estimular a experiência de compra.

Uma alternativa eficaz para não onerar para ambas as partes e ainda deixar o cliente bastante satisfeito é adotar parcerias. Com isso, é possível pleitear valores mais reduzidos junto aos fornecedores e também conseguir brindes para presentear o público ou promover sorteios e campanhas promocionais no interior da loja.

Assine agora

2 Comentários

  1. Ana Alves de Sousa disse:

    Com certeza a parceria será mais interessante com a troca de ganhos,onde o consumidor leva não só a mercadoria como também a vontade de voltar sempre.

  2. Ana Alves de Sousa disse:

    Inove, promova;o ganho será bem maior quando você:se coloca no lugar do outro.Sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *